quarta-feira, 8 de novembro de 2017

[Resenha] Tartarugas até lá embaixo

Depois de tanto tempo sem uma publicação do livro do John Green (6 anos, para ser mais exata), ele nos presenteia com um livro engraçado, abordando um tema que nunca li, uma personagem que está determinada a mudar isso da sua vida e diversas referências. Afinal, se não tivesse referência não seria John, não é mesmo?




"Tartarugas até lá embaixo" vai contar a história de Aza Holmes. Ela tenta a todo momento ser uma boa amiga, uma boa filha e uma boa aluna, mas aos 16 anos, ela ainda não sabe como lidar com os seus terríveis espirais de pensamento e que sempre afunilam. Aza tem TOC e é difícil não se sentir aprisionada dentro de si.



"Qualquer um pode olhar para você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu." (pág. 16)

O desenrolar da história começa quando Aza e sua melhor amiga, Daisy, escutam na rádio que o bilionário Russell Pickett desapareceu e a pessoa que tiver qualquer informação sobre ele e até mesmo encontrá-lo, irá receber uma recompensa de cem mil dólares! 

Apenas pensando nesse dinheiro, Daisy acaba convencendo Aza a bancar a detetive para conseguirem essa recompensa. E para ajudar nessa investigação, Aza conhece o filho de Russell, Davis, e ela irá se aproximar dele para conseguir alguma informação. Porém, isso vai além do que ela esperava.

"Não sou de usar em vão a palavra que começa com A, dado que é um sentimento raro e precioso e que não deve ser banalizado." (pág. 20)


"Quando a observação falha em se alinhar à verdade, no que confiar: nos seus sentidos ou na sua verdade?" (pág. 60)

O que dizer desse livro que me conquistou tanto? Como disse no começo da resenha, eu nunca havia lido nada com uma personagem com TOC e John Green soube como passar esses problemas que a personagem enfrentava em cada virar de página. Ele fez com que eu me sentisse agoniada e completamente louca para ajudar Aza com esses problemas.

Outro ponto para o autor é que sua leitura é completamente fluída. Você se apega a todos os personagens. Daisy, a melhor amiga, foi uma personagem que eu adorei conhecer. Ela é completamente determinada, divertida e louca. Já Davis foi mais um personagem carismático que me conquistou logo de início. Aza realmente estava rodeada de boas pessoas.

"Qual a diferença entre quem somos e o que temos? Talvez nenhuma." (pág. 79)

Por mais que a gente consiga entender como é uma pessoa que têm TOC, o livro gira bastante em torno do mistério. Talvez tenha sido esse ponto que não fez com que esse livro levasse 5 estrelinhas. Exceto isso, foi uma leitura completamente agradável e que me prendeu em todos os capítulos. Cada vez que finalizava um, queria logo ler o seguinte e descobrir como tudo iria acabar.

Ah, sobre as referência... John Green cita muitos pontos de Star Wars já que Daisy tem uma fanfic com os personagens dessa série. Eu confesso que muitas coisas eu não compreendi porque não sou fã (já assisti a todos os filmes, mas não amo), mas garanto que quem é realmente fã, vai adorar tudo que foi citado e provavelmente amar ainda mais esse livro.

"Fiquei tentando entender por que queria que ele me beijasse, e como saber por que queremos estar com alguém, e como desemaranhar os nós do querer. Tentei entender por que eu tinha medo de me virar para ele." (pág. 101)

Um livro arrebatador! Aza mostra o poder de uma amizade e faz com que você lembre que a vida sempre continua e que muitas surpresas podem aparecer no caminho. Você só tem que seguir em frente e tentar ser mais forte com os espirais que aparecem em sua vida.

Não espere uma história cheia de romance, como foi o caso de "a culpa é das estrelas", pois o livro possui sim o amor, mas de diversas formas. Aliás, o mundo não é feito só de dor e problemas, existe amor também. Basta saber onde procurar e você irá encontrá-lo.

"Acho que, em algum momento, todo mundo percebe que a pessoa responsável por nós é só um ser humano, não tem superpoderes, e que na verdade não pode nos proteger da dor." (pág. 141)

Existe amor, existe reflexões, existe amizade e existe momentos angustiantes. Então leia, sinta tudo isso e muito mais que esse livro pode te proporcionar. Entenda mais Aza e deixe que ela divida seus problemas com você.


MAIS QUOTES


"Eu pensei em quando ele me perguntou se eu já havia me apaixonado. Em inglês se usa uma expressão estranha, in love, que seria algo como estar "imerso no amor", como se o amor fosse um mar em que mergulhamos, ou uma cidade em que moramos." (pág. 143)

"A pior parte de estar totalmente sozinho é pensar em todas as vezes em que desejamos que todo mundo simplesmente nos deixasse em paz. Foi o que fizeram. Atenderam ao meu pedido, e acabei me saindo uma péssima companhia." (pág. 176)

"A gente escolhe os nossos finais e os nossos começos. Podemos escolher a moldura, sabe? A gente pode até não decidir o que aparece na foto, mas a moldura é a gente quem decide." (pág. 258)

"Você se lembra do seu primeiro amor porque os primeiros amores mostram - provam - que você pode amar e ser amada, que nada nesse mundo é merecido exceto o amor, que o amor é ao mesmo tempo como e por que você se torna uma pessoa." (pág. 265)

Avaliação: ❤❤❤❤


Título original: Turtles all the way down
Escritor: John Green
Editora: Intrínseca
Ano de publicação: 2017
Páginas: 272
Gênero: Ficção / jovem adulto / literatura estrangeira / romance


 SINOPSE SKOOB

"A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)."





Acompanhe o blog em outras redes sociais: Facebook | Instagram

3 comentários:

  1. Ahhh super curiosa com esse livro, o tema e ótimo e não ser cheia de romance é bem positivo nesse caso rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Primeiramente,que resenha mais linda,cheia de sentimento e positividade!
    Comecei a ler hoje,mas acredito que esse seja o livro mais a cara do John,até pelo fato dele mesmo ter TOC,então acho que muito dele foi transferido pra Aza,nos fazendo entrar um pouquinho na mente dele.
    Espero muito gostar como todos estão gostando!
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu estou aceitando esse livro de presente. Kkkk
    A história é muito maravilhosa, fazia tempo que não lia uma resenha matavilhosa suas. Eu estou bem ansiosa pela leitura desse livro e ver mas uma vez uma história maravilhosa desse autor que idolatro tanto.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir