segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

[Resenha] A Garota que Você Deixou para Trás

Escritora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Sinopse: "Na França, em 1916, Sophie Lefévre precisa menter a família em segurança enquanto seu adorado marido, Édouard, luta no front na Primeira Guerra. Quando ela é obrigada a colaborar com os oficiais alemães, sua casa se torna foco de terríveis conflitos. E, no momento em que o comandante da ocupação descobre um retrato de Sophie pintado por Édouard, tem início em complicado jogo de interesses, que vai levar a jovem a tomar uma decisão arriscada.
Nos anos 2000, em Londres, o retrato de Sophie ocupa uma parede na casa de Liv Halston: um presente dado por seu marido pouco antes que ele morresse. Um encontro inesperado revela o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Uma história que está prestes a vir à tona e vai virar a vida de Liv de cabeça para baixo."
"Penso em você dia e noite. Você é a minha estrela guia neste mundo de loucura." (pág. 20) 


A história começa em 1916, narrando sobre a vida de Sophie na Primeira Guerra Mundial e suas consequências. Seu marido, Édouard, teve que ir para Guerra, assim como o marido de sua irmã. Então Sophie decide morar junto com sua irmã e seus filhos. A casa onde ela mora era um hotel que agora, devido a Guerra, recebe apenas pessoas assustadas. Mas acabam atraindo a atenção do Kommandant alemão e ele a obriga cozinhar para eles todas as noites.
"Não preciso de fotografias para evocá-la, Sophie: basta eu fechar os olhos para recordar seu rosto, sua voz, seu cheiro, e você não tem ideia de quanto me conforta." (pág. 67)
Sophie assustada com a situação, pois são os inimigos todas as noites dentro da própria casa, mas não tem outra opção. Mesmo sendo obrigada e toda a região sabendo disso, Sophie acaba sendo menosprezada por todas as pessoas por abrigar os inimigos. Porém, toda vez que Sophie perde as esperanças, ela passa admirar o quadro que seu marido Édouard fez dela anos trás. Admirando a mulher que deixou de existir. 

Já em 2000, Liv perdeu o marido  anos atrás e ainda não sabe como seguir em frente com sua vida. Porém, em um jantar com seus amigos que tinha tudo para dar errado devido ao seu acompanhante desnecessário que seus amigos insistiram em arrumar, ela reencontra sua ex-colega de faculdade, Mo, e a convida para dormir em sua casa, pois ela passava as noites no restaurante.
"Ela não quer que ele vá embora. Quer deitar-se ao lado dele, envolver-se em seus braços, a cabeça aninhada em seu peito. Quer acordar sem precisar fugir dos próprios pensamentos." (pág. 194)
"Nunca conheci a verdadeira felicidade até encontrar você." (pág. 266) 
Mesmo Liv arrumando uma colega com quem dividir a casa, ela ainda está desesperada por não ter o dinheiro suficiente para pagar as contas e corre o risco de perder a casa que ela herdou do seu marido David. Porém, a única esperança que ela encontra é no quadro que David lhe deu na lua de mel, mas jamais imaginou que aquele quadro mudaria a vida dela para sempre.

Em uma noite que tinha tudo para dar errado, mais uma vez, Liv acaba conhecendo Paul que trabalha recuperando obras de artes do período da Guerra Mundial. Paul acaba vendo que Liv tem um dos quadros que seu atual cliente está procurando e a vida dela começa ter uma grande mudança: Liv precisa devolver o quadro no tribunal, mas ela será capaz de abrir mão da única lembrança que ela tem de David?
"Às vezes a vida é uma série de obstáculos, uma questão de colocar um pé na frente do outro. Às vezes, de repente ela se dá conta, é simplesmente uma questão de fé cega." (pág. 343)
Este livro mostra como Sophie e Liv são mulheres guerreiras, que lutam pelos seus ideais, sem se preocupar com a opinião alheia. O ponto de vista de Sophie narra os momentos trágicos da Guerra Mundial em primeira pessoa. Já no "presente" é narrado em terceira pessoa no ponto de vista de Liv e Paul. 

Esse foi o primeiro livro que li da Jojo Moyes e desde então tornou-se uma das minhas escritoras favoritas. Foi impossível não me apaixonar pela escrita dela.
"Só o que importa mesmo é quem a gente ama." (pág. 348)
"Há lágrimas no rosto dela. Ela não sabe como chegaram ali. Os olhos azuis dele de repente estão calmos. Ela pega o rosto dela nas mãos e a beija, enxuga suas lágrimas com beijos, os lábios macios em sua pele, prometendo um futuro. Ele a beija até ambos estarem sorrindo e ela não sentir mais os pés." (pág. 348) 
Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário