sábado, 5 de dezembro de 2015

[Resenha] Eleanor e Park


Escritora: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Páginas: 325
Sinopse: "Eleanor e Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Elanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e "grande" (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família.
Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede de Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths.
Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.
 Porque, mesmo depois de tudo o que acontecera nos últimos 45 minutos - e tudo o que acontecera nas últimas 24 horas -, ela só conseguia pensar em encontrar Park." (pág. 59)
A história é narrada nos pontos de vista de Eleanor e Park, contados em capítulos curtos e narrados em terceira pessoa. E todos acontecimentos são de 1986.

Eleanor é uma adolescente diferente das demais. Seu cabelo ruivo bagunçado, peso acima da média, roupas masculinas e acessórios punk fazem com que todos olhem para ela de forma estranha. Park é um garoto de origem coreana, não exatamente popular, mas apenas o suficiente para não ser zoado pelos outros, se dando bem com todo mundo, mas sem chamar a atenção.
"Segurar a mão de Eleanor era como segurar uma borboleta. Ou um coração a bater. Como segurar algo completo, e completamente vivo." (pág. 74)
A narrativa começa com Eleanor se mudando para a cidade nova, voltando a morar com sua mãe. Em seu primeiro dia no colégio novo, sofre bullying dos demais por ser "diferente". No ônibus, ninguém dá lugar para ela sentar. Até que Eleanor encontra um lugar sobrando ao lado de Park e senta a seu lado. Park, que faz de tudo para permanecer invisível e ninguém encher seu saco, não gosta do ocorrido e também acha Eleanor pra lá de estranha, mas acaba não reclamando.



A partir daí, os dois pegam ônibus juntos todos os dias, porém nunca se falam. Park está sempre com seu fone de ouvido e lendo seus gibis, enquanto Eleanor está sempre lendo os gibis dele com o canto dos olhos. Ele, que logo se dá conta da situação, passa a ler seus gibis devagar, para a garota o acompanhar. Passa a emprestar seus gibis a ela, deixando todo dia uma pilha em seu lugar. Eleanor lê todos eles de noite e os devolve satisfeita no dia seguinte. 
"Sempre que via Eleanor, ele não conseguia mais pensar em se afastar. Não conseguia pensar em mais nada. A não ser tocá-la. A não ser qualquer coisa que pudesse ou tivesse de fazer para vê-la feliz." (pág. 94)
Até que certo dia, Park resolve puxar assunto e outra coisa que eles tem em comum vem a tona: a música. Embalados por The Smiths e super-heróis, a relação dos dois vai crescendo cada vez mais, passando de completos estranhos a melhores amigos e de amigos a apaixonados. Eleanor deixa de ser esquisita para Park, e ele se torna interessante para Eleanor. Como ambos são inexperientes, o primeiro amor é bem intenso.

Eleanor e Park é um livro apaixonante, muito bem balanceado entre romance e drama, de uma forma leve. Os personagens transbordam empatia e estão se descobrindo ao longo da narrativa. Não são nada perfeitos, seja fisicamente ou psicologicamente. E isso é o que os torna tão reais e marcantes. Juntos, Eleanor e Park passam a se ajudar e enfrentar os problemas da vida, sendo um o conforto do outro. 
"Não há motivo pra pensar que vamos deixar de amar um ao outro. E todo motivo pra pensar que não vamos." (pág. 239)
Apesar de toda fofura, o livro abrange os assuntos como a "importância dos padrões de beleza da sociedade", bullying, problemas familiares, sexualidade e corações partidos. 

Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

0 comentários:

Postar um comentário