domingo, 5 de julho de 2015

[Resenha] Se Eu Ficar

Escritora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Páginas: 224
Sinopse: " Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera… e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas."
"Senti um calor subindo pelo meu pescoço e depois as minhas bochechas ficando vermelhas. Olhei para os meus sapatos. Tinha certeza de que Adam estava olhando para mim agora, da mesma forma que tinha certeza de que se eu o olhasse, ele me beijaria. E fiquei surpresa ao me dar conta do quanto eu queria aquele beijo, ao perceber que eu tinha pensado naquilo tantas vezes que já tinha memorizado o formato exato dos seus lábios, e que eu tinha imaginado meu dedo roçando a covinha do queixo dele." (pág. 36) 

 Se Eu Ficar  retrata as nossas escolhas, a interrupção abrupta da vida e aborda as reflexões de que tudo o que temos hoje pode não ser mais presente amanhã.

O livro retrata a história de Mia, uma adolescente, apaixonada pelo violoncelo que mora com os pais e o irmão mais novo. Todos eram amantes de música, porém, às vezes ela sentia-se deslocada na própria família por ser a única a gostar de música clássica, enquanto seus pais ouviam punk rock. E Mia conhece Adam, um outro apaixonado por música, porém apaixonado por rock. Uma diferença musical, mas uma paixão enorme por ambos.
"Nos livros e nos filmes, as histórias sempre acabam quando as duas pessoas finalmente dão o beijo romântico e o "foram felizes para sempre" fica implícito, simples assim." (pág. 48)
"As pessoas acreditam no que querem acreditar." (pág. 64)
Mia é uma garota cheia de sonhos. Sonhava em ser uma grande violinista e continuar namorando Adam, independente dele ter uma banda e fazer vários shows, mas devido à um acidente com ela e sua família, a história muda de rumo.

O acidente foi causado por um caminhão vindo na pista contrária do carro em que estavam Mia e seus pais. E aí a história começa. É narrada no ponto de vista de Mia, porém ela está "fora" do seu corpo. Ela consegue ver todos e até mesmo seu corpo, mas ninguém consegue vê-la ou ouvi-la. 
"Às vezes você faz escolhas na vida e outras, as escolhas vêm até você." (pág. 159)
"O quase não importa. É preciso encarar a situação real, do jeito que ela se apresenta no momento presente." (pág. 162)
Enquanto o "fantasma" da Mia está no UTI, a história mostra cenas da sua vida através de flashbacks ao passado que ela relembra à medida dos acontecimentos do presente. Com isso, você conhece a realidade de Mia e quanto mais triste e dividida ela se encontra. Deveria ficar ou ir embora com seus pais? Única escolha que somente ela pode tomar.

E é isso que a história me mostra: o valor de cada momento da nossa vida, de cada pessoa que amamos, e o mais importante, tomamos consciência de que nossos atos podem mudar totalmente nossas vidas em um segundo. 
"Seja qual for a sua escolha, vai sair ganhando. Assim como também vai sair perdendo. O que eu posso te dizer? O amor é uma merda." (pág. 175)
Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ 

0 comentários:

Postar um comentário